Sustentabilidade na Construção Civil

As questões ambientais têm ocupado, gradativamente, cada vez mais espaço nos problemas dos países, desenvolvidos ou não, e a quantidade de resíduos deixados por construções, cerca de cinco vezes maior do que de produtos, tornou-se um dos centros de discussões da sustentabilidade.

Pesquisas recentes indicam aumento de cerca de 5% nos gastos no processo de construção caso sejam feitos investimentos em sustentabilidade, contudo, a economia a médio e longo prazo, que gira em torno de 30% nos gastos com água e energia, compensa os gastos extras.

Aderir uma consciência sustentável na construção civil é necessário para ajudar a recuperação do meio ambiente e proporcionar as gerações futuras um mundo melhor.

Algumas empresas estão adotando essa consciência que é uma tendência mundial e para a empresa WERKE não é diferente. O uso de seu método construtivo com as placas em alvenaria convencional industrializadas é uma excelente  opção para projetos que requerem o conceito sustentável, pois as placas são entregues prontas no canteiro de obra, o que reduz em até 70% a geração de resíduos e desperdício de água.

“Nossas placas são de tijolo cerâmico e cimento, não existe nenhum outro elemento nas paredes que seja prejudicial ao meio ambiente. E como elas são entregues rebocadas em ambos os lados, prontas para serem aplicadas tanto no sistema convencional (como paredes de fechamento interno e externo) quanto no sistema estrutural, além de otimizar o tempo da obra, não existe desperdício de água e materiais como acontecem em processos construtivos comuns. Com o método WERKE também diminuímos em mais de 50% o uso de madeiras na construção, o que para nós é algo muito importante ja que vivemos pensando em sustentabilidade.” – Explica Cleber Ambrósio, diretor de Obra da WERKE.

“A WERKE também consegue atender projetos que exijam 100% o conceito ecologicamente correto, e conseguimos atender essa demanda oferecendo placas feitas com matéria prima sustentável e toda gestão da obra dentro de critérios de sustentabilidade, como exige o selo LEED, por exemplo.” – Acrescenta o Engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor de Fábrica.

O Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer em relação a sustentabilidade, mas podemos dizer que de cinco anos para cá demos alguns passos importantes, como por exemplo, a diminuição do uso de madeira com procedência de desmatamento ilegal, como apontou um estudo feito em 2011 pela Forest Stewardship Council Brasil (FSC) que diz que 48% das madeiras utilizadas nas construções, são ilegais.

Fonte: linkedin.com

Precisa de orçamento?

Entre em contato conosco

 

13 + 7 =

Agnaldo Gênova

Marketing Manager at WERKE

Construções Industrializadas